top of page

O que os clientes esperam de produtos digitais acessíveis?


Ilustração de pessoas interagindo com dispositivos móveis gigantes e ícones de acessibilidade.


Qual é a promessa que um produto digital acessível faz para o mercado?

Quais os ganhos trazidos com a acessibilidade digital para o cliente e para a empresa?


O propósito deste texto é responder essas duas perguntas estimulando o empreendedor a se imaginar no lugar do consumidor.


A reflexão sobre o papel de cada um será facilitada por um exemplo.

Ativar a imaginação e construir um quadro mental sobre a situação das pessoas com deficiência auxilia em vários aspectos. 


Desenvolver uma boa comunicação, fechar vendas com efetividade e criar bons argumentos para comercializar soluções são pontos importantes para negociar.


Saber mirar na audiência certa, quebrar objeções e dialogar com clareza são outras boas práticas. Então, no subtítulo adiante, você vai poder examinar esse exemplo que despertará muitas reflexões e sua sensibilidade.


Posteriormente, você vai conhecer as vantagens de se colocar no lugar do usuário com deficiência e entregar produtos digitais acessíveis.


Um exemplo para você se colocar no lugar do seu cliente


O exemplo a seguir é bastante curioso e apresenta as bases de variadas técnicas de negociação. Imagine que duas pessoas estão concorrendo a uma mesma vaga de emprego.


Na última etapa das dinâmicas de entrevistas, o recrutador faz uma pergunta bastante incômoda para ambas as partes.


Uma candidata precisa falar sobre as habilidades e o diferencial da outra candidata e vice-versa. Como falar bem da concorrente sendo que, dependendo das suas palavras, você pode perder a vaga para a outra parte?


É como se uma candidata precisasse “vender” os talentos da concorrência!

Esse contexto de pergunta apresenta os seguintes insights:


  • A melhor resposta para essa questão é falar uma frase com uma grande convicção. Essa resposta é: “eu prefiro falar das minhas habilidades. Acredito que eu esteja mais alinhada com essa vaga.”

  • Você precisa “vender” o que você acredita. Na dinâmica para conseguir emprego, a candidata pode citar que prefere falar de si mesma do que a concorrência. Isso explora pontos como autenticidade, crença em si mesma, credibilidade e conexão entre oferta e oportunidade.


A mesma situação se aplica nas negociações para apresentar produtos digitais acessíveis para a audiência.


Você só vai conseguir fechar uma venda se comunicar convicção e crença na qualidade da sua solução. Essa mesma crença nos seus diferenciais competitivos é que alinham marcas e usuários.


Logo, se você oferecer acessibilidade digital, sua marca deve ser uma evangelizadora fervorosa da inclusão digital. O bom produto é vendido por si só!


O marketing funciona mais como um estímulo extra para educar o mercado.

O desejo de entregar a melhor experiência digital para o usuário com deficiência ativa a crença na inclusão online. 


Assim, o produto acessível digital é bem mais do que uma simples solução mercadológica.


Se sua oferta transforma e impacta a vida das pessoas, ela deve ser comunicada para vários perfis de audiências. Você deve vender experiências positivas, pois o produto digital acessível é uma questão de incorporar princípios éticos no negócio.


O acesso digital é um recurso que conecta empreendimentos com a causa da pessoa com deficiência. 


Você deve ter tanta confiança nesses diferenciais que deveria ser capaz de comprar essa oferta, se você fosse o consumidor. Um restaurante que vende comidas saudáveis pode oferecer um blog bastante acolhedor que comunique os diferenciais para variados públicos.


As pessoas com deficiência terão um acesso melhor e conhecerão os diferenciais da comida saudável.


Dessa forma, o modelo de negócios do restaurante transforma a vida e a saúde de uma fatia maior do mercado. O blog deve agregar acessibilidade para atingir mais consumidores.


No exemplo do restaurante, a pauta da alimentação saudável se mescla com a causa das pessoas com deficiência.


São discussões públicas de interesse social que se interligam. Por isso que sua oferta e a acessibilidade digital são pontos tão transformadores! Segundo esse raciocínio, não importa seu nicho de mercado, atuação ou público-alvo.


Seus argumentos serão bem mais persuasivos se explorar duplamente os ganhos da oferta e a acessibilidade digital.


Quais os benefícios dos produtos digitais acessíveis?


A tecnologia que promove a acessibilidade digital da Startup Perto Digital incorpora critérios legais e programação. Exemplos como Lei n° 13.146 e Guia WCAG direcionam as nossas soluções para alinhar a inclusão digital e negócios.


Seu blog, podcast, sites e documentos eletrônicos podem oferecer acesso digital, o que melhora a conexão marca e clientela. 


Lidere seu mercado fechando mais vendas, conquistando clientes e ampliando o impacto positivo da sua oferta na vida das pessoas. Converse agora mesmo com nossa equipe de vendas e conheça nossos diferenciais competitivos.









تعليقات


© 2022 Perto Digital. Todos os direitos reservados

bottom of page