top of page

O investimento em inclusão digital é barato?


Ilustração vetorial minimalista que apresenta uma balança com símbolos de acessibilidade digital, como uma interface de usuário simplificada, ícone de comando de voz e ícone de texto alternativo, em um dos pratos, e símbolos de moeda ou valor, como moedas, um saco de dinheiro ou uma etiqueta de preço, no outro prato. Esta metáfora visual visa pesar o custo da inclusão digital contra seu valor, sugerindo que os benefícios da inclusão digital podem superar ou se equiparar aos seus custos. A paleta de cores da marca Perto Digital é utilizada para criar uma mensagem visual impactante e coerente.

O Brasil se comprometeu a incentivar tecnologias promotoras de inclusão digital a baixo custo.


Isso porque o país faz parte da Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Em outras palavras, existe pressão internacional para que a web seja mais acolhedora.


Neste texto, você entenderá quais estímulos são usados para baratear e criar tecnologias adequadas ao contexto das pessoas com deficiência.


O propósito é apontar mecanismos responsáveis por consolidar uma economia mais humana e inclusiva. Será descrita a importância da inclusão digital para o usufruto de demais direitos fundamentais.


São pontos muito alinhados e conectados! Além disso, você saberá o papel da sua empresa na difusão da acessibilidade e impacto positivo na vida das pessoas.


Fazer mais do que a Lei exige é um tremendo diferencial competitivo. Portanto, não deve ser encarado como custo.  


É um investimento na diferenciação do seu modelo de negócios e aperfeiçoamento de soluções para o seu mercado. Surpreenda seu nicho mercadológico investindo em recursos específicos que atraiam mais clientes.


Assim, alinhando esse investimento estratégico com objetivos mais gerais do seu empreendimento, você consegue retorno financeiro.


Basta entender a lógica da acessibilidade e a jornada do seu usuário com deficiência! Priorizar inclusão digital é alocar verbas em empatia, conexões genuínas e alinhamento com os clientes. 


Conheça o conceito de acessibilidade digital no texto “O marketing precisa pensar em acessibilidade digital?”


Saiba mais sobre a definição de inclusão digital de acordo com a nº 13.146 de 6 de Julho de 2015 no texto “Lei n° 13.146: o que a sua empresa precisa saber sobre a Lei Brasileira de Inclusão?”


O histórico de muitas reivindicações


A Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência é uma ferramenta internacional para promoção dos direitos humanos.


É um recurso das Nações Unidas cujo propósito é proteger a dignidade das pessoas com deficiência. Os Estados Partes da Convenção são obrigados a conceder condições para o usufruto dos direitos humanos para essa fatia populacional.


Dessa forma, todos os cidadãos podem gozar de plena igualdade diante da lei.


O texto da Convenção foi aprovado em 13 de dezembro de 2006 pela Assembleia Geral das Nações Unidas. No Brasil, o texto foi promulgado em 26 de agosto de 2009 pelo Decreto nº 949.


O Brasil tem um texto que funciona como um protocolo facultativo da Convenção.

Ou seja: as obrigações legais dentro do território brasileiro precisam ser mais rigorosas do que a convenção original.


Até porque o Brasil é um Estado Parte da Convenção. 

No caso do Brasil, o texto que funciona como protocolo facultativo da Convenção é esse.


Na seção “obrigações gerais”, o texto menciona o compromisso do Estado Parte em assegurar e promover direitos e liberdades.


Esse comprometimento é assumido pelo Estado Parte em relação às pessoas com deficiência. No item “g” das “Obrigações Gerais”, o seguinte trecho é exposto:


Realizar ou promover a pesquisa e o desenvolvimento, bem como a disponibilidade e o emprego de novas tecnologias, inclusive as tecnologias da informação e comunicação, ajudas técnicas para locomoção, dispositivos e tecnologias assistivas, adequados a pessoas com deficiência, dando prioridade a tecnologias de custo acessível;”


A pressão internacional exercida pela Convenção já poderia ser um bom mecanismo para educar o mercado.


Tecnologias adequadas às necessidades de acessibilidade poderiam ser feitas visando maior custo e benefício. Dessa forma, a tecnologia que agrega acessibilidade em sites, por exemplo, deve seguir a regra de apresentar um preço acessível.


O impacto dessa regra é bastante óbvio.  Empresas desenvolveriam a mesma percepção de que inclusão digital é um investimento obrigatório e que pode ser barateado.


Estímulos certos, pressão das leis e educação do consumidor consolidam um mercado inclusivo e acessível para as pessoas com deficiência.


Boas práticas na área da inclusão no online são variadas. Sites e documentos eletrônicos acessíveis, assim como a possibilidade de transformar áudios em textos e vice-versa são exemplos.


Fazer mais do que a lei pede agrega um incrível diferencial competitivo para seus negócios.


É fazer mais do que somente obedecer aos mínimos exigidos e surpreender o cliente. A inclusão digital gera maior uma audiência mais engajada e estimula seu cliente a falar bem da sua marca.


Maior facilidade em manusear sites, por exemplo, agrega qualidade na experiência de qualquer usuário. 


Sua marca vai conseguir abraçar uma fatia muito maior do mercado, pois investe em atrair mais clientes através do acesso. Por isso, a inclusão digital é um investimento sustentável e com um provável retorno. 


Invista em pessoas e transforme vidas com a inclusão digital


A oferta da Perto Digital consiste em plugins e funcionalidades que adicionam acessibilidade no seu modelo de negócio.


Você e seu jeito único de empreender podem atingir um mercado ainda mais expressivo. Empresas dedicadas a abraçar a diversidade são mais empáticas e conectadas com o público!


Crie laços e relacionamentos mais consistentes combinando acesso e sua proposta de valor.


Converse com os consultores e nossa equipe de vendas para conhecer mais sobre a Perto Digital!


댓글


© 2022 Perto Digital. Todos os direitos reservados

bottom of page