top of page

Integração de Tecnologia Assistiva: o caminho para a inclusão digital



Esta imagem apresenta uma ilustração que destaca a acessibilidade tecnológica para pessoas com deficiência. Visualiza-se uma pessoa em uma cadeira de rodas, utilizando dispositivos tecnológicos, como um celular, um tablet e um computador. Os dispositivos exibem ícones universais de acessibilidade: o famoso símbolo de acessibilidade para cadeirantes no computador, um ícone de olhos cruzados representando cegueira no tablet, e um ícone de ouvido com uma barra, simbolizando a surdez ou deficiência auditiva no celular. Esta configuração sugere a importância da tecnologia adaptada para facilitar o uso por pessoas com diferentes tipos de deficiências.


O texto de hoje vai aprofundar a definição de tecnologia assistiva com base na ciência e na pesquisa.


Além disso, será melhor detalhado e exemplificado as categorias pertencentes à tecnologia assistiva.


Para tanto, vamos explorar o artigo “Introdução à tecnologia assistiva” de Rita Bersch. 


Alguns conceitos e insights serão retirados do artigo para aprofundar e consolidar conhecimento sobre esse tema.


Posteriormente, o nosso texto menciona todos os benefícios e ganhos trazidos pela inclusão digital para seu empreendimento e seus clientes.


Confira!


Definição e categorias da tecnologia assistiva


A tecnologia assistiva identifica um conjunto de recursos usados para proporcionar e ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência.


Dessa forma, esse público acessa uma vida independente e a inclusão.

Assim, o termo “tecnologia” não se refere apenas a objetos e produtos físicos como equipamentos ou dispositivos.


Ela designa produtos, contextos ou modos de agir que incorporam componentes técnicos. A tecnologia assistiva é dividida em categorias como:


  1. Auxílio para a vida diária e prática: são produtos usados em tarefas rotineiras. Por exemplo: soluções que auxiliam pessoas com deficiência visual a consultar relógios.

  2. CAA - Comunicação Aumentativa e Alternativa: recursos usados pelas pessoas sem fala ou escrita funcional. Pode ser usado por pessoas com defasagem entre a necessidade comunicativa e a habilidade de falar, escrever ou compreender. Por exemplo: pranchas de comunicação usadas para expressar desejos, sentimentos e compreensão.

  3. Recurso de acessibilidade ao computador: ferramentas como hardware e software idealizados para tornar o computador acessível para pessoas com deficiência. Podem incluir dispositivos de saída (sons, informações táteis ou imagens) e dispositivos de entrada (teclados, mouse e acionadores diferenciados). São exemplos: mouse especiais e softwares de reconhecimento de voz.

  4. Sistemas de controle do ambiente: nesse caso, pessoas com limitações motoras usam controle remoto para ligar, desligar e regular aparelhos. São exemplos: aparelhos como luz elétrica, televisores, ventiladores e telefones. A casa inteligente conta com dispositivos para  promover uma maior independência para pessoas idosas, com deficiência intelectual ou que sofrem de demência.

  5. Projetos arquitetônicos para acessibilidade: são projetos de edificação e urbanismo que proporcionam acesso, funcionalidade e mobilidade para todas as pessoas. São exemplos: adaptações estruturais e reformas em ambientes de trabalho, casas. Incluem rampas, adequações em mobiliários, banheiros e elevadores que reduzem ou retiram barreiras físicas.

  6. Órteses e prótese: a órtese garante um melhor posicionamento, funcionalidade ou mobilidade de uma parte do corpo. Já a prótese são peças artificiais que substituem partes ausentes do organismo humano. Por exemplo: órtese para correção postural.

  7. Adequação postural: recursos que proporcionam posturas alinhadas.

Por exemplo: encostos que consideram as medidas, peso e flexibilidade ou alterações músculo-esqueléticas do corpo.


  1. Auxílio de mobilidade: equipamentos ou estratégicos usados na mobilidade pessoal. São exemplos: bengalas e muletas.

  2. Recursos que traduzem conteúdos visuais em áudio ou informação tátil e auxílio para amplificação da função visual: São exemplos: auxílios ópticos, lupas manuais e lentes.

  3. Auxílio para melhorar a função auditiva e recursos utilizados para traduzir conteúdos de áudio em imagens, texto e língua de sinais. Por exemplo: equipamentos e aparelhos para surdez como celulares com mensagens escritas e chamadas por vibração.

  4. Mobilidade em veículos: Soluções que possibilitam pessoas com deficiência física dirigirem automóveis. Podem ser facilitadores de embarque e desembarque.  São exemplos: rampa para cadeira de rodas e elevadores para cadeira de rodas.

  5. Esporte e lazer: Soluções que proporcionam a participação em atividades de lazer.


Quais os ganhos que a tecnologia assistiva proporciona para sua empresa?


A Perto Digital comercializa soluções das categorias acessibilidade ao computador e recursos que traduzem conteúdos visuais em áudio.

Já o Perto Texto em fala se encaixa na categoria recursos que traduzem conteúdos visuais em áudio.    


Todas essas soluções têm um mesmo propósito. O objetivo é ajudar sua marca a conquistar fechar mais vendas e oferecer uma experiência digital inesquecível e acessível. 


Afinal, uma jornada mais simples, prática e inclusiva gera maior engajamento e atrai uma incrível diversidade de pessoas usuárias.


A entrega de uma web inclusiva significa mais conexão entre sua marca e o público constituído por pessoas com deficiência.


Uma internet mais fácil de ser usada e uma navegação mais acolhedora agregam valor para todas as pessoas usuárias.


Até mesmo as pessoas sem deficiência vão se encantar pela sua marca!


Por isso, converse com nossas equipes e venha conhecer nossa oferta.


Comentários


© 2024 Perto Digital. Todos os direitos reservados

bottom of page