top of page

Dia Global de Conscientização sobre Acessibilidade



Falar sobre acessibilidade deve ser uma pauta constante nas empresas e na sociedade!


Existe até um dia específico para lembrar da importância do acesso. No artigo de hoje, você vai saber mais sobre:


  • Qual é o dia mundial da acessibilidade?

  • Qual a importância da acessibilidade para todos?

  • Qual a importância da inclusão digital?

  • Quais as melhores práticas para incluir digitalmente?


Vamos falar sobre o acesso?


O texto “Hoje é o Dia Mundial de Conscientização sobre a Acessibilidade” presente no site do “Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios” relata a história da data.


Esse dia sempre é comemorado toda a terceira quinta-feira do mês de maio, desde 2012.


A data é fruto dos esforços combinados entre o desenvolvedor web Joe Devon e o profissional de acessibilidade Jennison Asuncion. Os principais tópicos abordados na comemoração são:


  • o lugar de fala das pessoas com deficiência;

  • o uso responsável da tecnologia para promover a inclusão digital;

  • os recursos que possibilitam qualquer indivíduo a interagir com conteúdos virtuais de forma prática e simples;

  • a acessibilidade física e digital que ampliam a qualidade de vida, possibilitam uma participação plena e um cotidiano mais independente.


Por que falar sobre acessibilidade é fundamental?


O site do Ministério da Saúde apresenta o texto “05/12 - Dia da Acessibilidade” que traz importantes ideias para debater esses temas. O artigo traz 3 reflexões principais:


  • O propósito da data é consolidar uma cultura inclusiva em todos os lugares e espaços;

  • Gerar ações proativas para promover a igualdade de oportunidades;

  • Colocar a acessibilidade dentro do debate sobre princípios básicos dos Direitos Humanos.

Já a Associação Brasileiras de Normas Técnicas (ABNT), na “NBR 9050:


Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos”, traz definições mais aprofundadas sobre os temas.


A NBR 9050 é uma norma técnica que estabelece critérios indispensáveis para projetar, construir, instalar e adaptar espaços urbanos, rurais e edificações de acordo com a acessibilidade. A NBR 9050 apresenta definições e conceituações escritas dessa maneira:


Acessibilidade: possibilidade e condição de alcance, percepção e entendimento para utilização, com segurança e autonomia, de espaços, mobiliários, equipamentos urbanos, edificações, transportes, informação e comunicação, inclusive seus sistemas e tecnologias, bem como outros serviços e instalações abertos ao público, de uso público ou privado de uso coletivo, tanto na zona urbana como na rural, por pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida;

Acessível: espaços, mobiliários, equipamentos urbanos, edificações, transportes, informação e comunicação, inclusive seus sistemas e tecnologias ou elemento que possa ser alcançado, acionado, utilizado e vivenciado por qualquer pessoa Quando pensamos nesse assunto, é provável que a primeira coisa que lembramos é estruturas físicas que facilitam a vida da pessoa com deficiência como:


  • Rampas;

  • Elevadores adaptados;

  • Banheiros adaptados;

  • Espaços urbanos mais acolhedores.


Agora, conforme a própria NBR 9050 afirma, não são só espaços físicos que têm a obrigatoriedade de serem acessíveis. Elementos como informações, comunicações, sistemas e tecnologias precisam incorporar princípios da acessibilidade e serem acessíveis.


Existe um paralelo entre a dimensão física e a virtual: todas elas precisam estar ao alcance das pessoas.


Por que falar sobre inclusão digital?


Conforme cita a própria NBR 9050, é imprescindível contar com uma internet mais aberta à diversidade. Portanto, apesar da importância de lembrar do tema nesta data específica, empresas, startups e corporações sempre precisam estar desenvolvendo inovações à serviço do usuário.


Todo o momento é oportuno para falar em inclusão digital! Em geral, sites mais amigáveis e intuitivos facilitam e simplificam a navegabilidade das pessoas com deficiência, promovendo a independência e a autonomia.


Assim, espaços online mais abertos ao diverso podem ter impactos profundos no cotidiano das famílias e na rede de suporte dos usuários com deficiência.


Ele não vai ficar sempre dependendo de uma outra pessoa, amigo ou familiar para lidar com sistemas e informações.


Você já imaginou precisar:


  • de alguém para acessar a internet?

  • Esperar outra pessoa, amigo ou familiar para ajudar você a encontrar as informações que você precisa?


São duas situações bem incômodas, não é verdade?


A inclusão digital sempre vem acompanhada de protagonismo e autonomia no universo online!


Mesmo se o seu modelo de negócios for B2B, talvez, você vai precisar lidar com uma pessoa com deficiência que está na empresa cliente.


Do mesmo modo, se o seu site oferecer uma experiência tranquila de uso e navegação, você vai estar mais próximo de fechar vendas e fidelizar mercado!


Gere mais conexão entre o seu modelo de negócios com a sua audiência!


Agora, fica o questionamento: como seu site pode oferecer recursos específicos que satisfazem todas as necessidades de uma pessoa com deficiência?


Existe até pessoas com mais de uma deficiência, como é o caso de pessoas com síndrome de down e autismo, por exemplo.


Além disso, as situações e contextos dos usuários variam bastante. Pessoas com deficiência mais maduras requerem um outro tipo de experiência virtual do que um jovem, porque o avançar da idade vem acompanhado de novos desafios.


Inclua a diversidade com as soluções do Perto Digital


A proposta do Perto Digital está embasada nas melhores práticas de acessibilidade digital existentes. Oferecemos uma gama de recursos específicos para que seus usuários tenham uma navegabilidade alinhada com as necessidades deles.


Cada componente dos nossos plugins é customizado para atender uma ou mais deficiência, bastando que o usuário selecione a opção mais adequada para o contexto dela.


Chegue mais perto da sua persona e tenha um desempenho cada vez melhor no mercado!

Comments


© 2022 Perto Digital. Todos os direitos reservados

bottom of page