top of page

Como criar tabelas e gráficos que tenham acessibilidade digital?


Arte em 2D com diversas peças de quebra-cabeça com mãos segurando.

A acessibilidade digital deve estar em todos os lugares do seu negócio.


Seu conteúdo online deve ser inclusivo e atender a todas as necessidades das pessoas com deficiência. Sua equipe de design gráfico deve oferecer tabelas e gráficos acessíveis para estar em conformidade com a inclusão web.


Desse modo, conteúdos digitais acessíveis garantem que:


  • sua marca seja mais reconhecida pelas pessoas;

  • seu empreendimento eduque o mercado;

  • você cultive um relacionamento de confiança com os clientes e fãs da sua solução.


Um bom design inclusivo apresenta informações de maneira enxuta e simples, o que fortalece a comunicação empresarial! 


Confira como agregar essa estratégia na criação de gráficos e tabelas do seu negócio.


O conceito de acessibilidade aplicado ao design gráfico


O design gráfico acessível envolve a criação de conteúdo que podem ser percebidos, entendidos e utilizados por todas as pessoas. São informações que atendem às necessidades de pessoas com diferentes perfis e habilidades.


Essas informações devem ser acessíveis no aspecto visual e para pessoas que usam tecnologias assistivas como leitores de tela.


Portanto, a acessibilidade aplicada em gráficos e tabelas garantem que eles sejam interpretados por qualquer usuário.


A importância da acessibilidade em gráficos e tabelas


Tabelas e gráficos criados de acordo com boas práticas de acessibilidade digital promovem a inclusão! Públicos bem diversificados podem compreender seu conteúdo com velocidade e praticidade.


Seu marketing ganha produtividade, porque engloba audiências constituídos por pessoas com:


  • deficiência visual: elas podem usar tecnologias assistivas para lidar com gráficos e tabelas;

  • habilidades cognitivas diversas: elementos gráficos apresentados de forma simples ajudam na interpretação das pessoas com diferentes níveis de habilidades cognitivas. Além disso, pessoas com dificuldade na interpretação visual também podem ser beneficiadas. 


A base para agregar acessibilidade


Seguir as Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo WEB (WCAG) alinha conteúdos com a conformidade legal e a equidade.


Com designs adaptativos e responsivos, seus usuários podem acessar o conteúdo em diversos tipos de dispositivos. Diferentes tamanhos de telas e dispositivos oferecem uma ótima experiência digital se apresentarem gráficos e tabelas de maneira acessível.


Esse cuidado para apresentar sempre um bom design evita que usuários sejam desencorajados por barreiras de acesso.


Conteúdo acessível pode ser usado em casos como sites educacionais, governamentais e corporativos para atingir uma audiência mais ampla. Dessa forma, marcas podem ajudar e apoiar a construção de uma web mais ética e alinhada com a responsabilidade social.


Confira algumas boas práticas para criar tabelas e gráficos acessíveis


  1. Seleção das cores adequadas: essa estratégia garante contraste e garante o facilita o entendimento de pessoas com deficiência visual. 

  2. Uso de textos alternativos: A criação de gráficos exige a inclusão de descrições significativas e que comuniquem a informação visual.

  3. Lógica nas estruturas de tabelas: é fundamental para o entendimento de pessoas que usam tecnologias assistivas. Uso de marcadores de células e cabeçalhos para organizar as informações das tabelas é um exemplo dessa lógica.

  4. Descrição e informação gráfica: a adição de rótulos e legendas explicativos facilita que usuários entendam gráficos. Essa estratégia reduz a complexidade e oferece uma melhor experiência digital para todos os públicos.

  5. Adaptações e uso responsivo: O design responsivo deve ser aplicado na criação de gráficos e tabelas. O conteúdo deve ser acessível e compreensível em diferentes tamanhos de telas. Gráficos interativos devem ter funcionalidades utilizáveis por diferentes usuários.

  6. Testes de acessibilidade: Uso de ferramentas apropriadas garante a acessibilidade de tabelas e gráficos. Para isso, é fundamental que sua equipe realize testes com leitores de telas e outras tecnologias assistivas. Assim, você consegue averiguar se seu conteúdo é genuinamente acessível. Valide sua experiência digital ofertada com usuários reais para garantir sempre a melhor qualidade possível. Desenvolva a escuta ativa para valorizar feedbacks e críticas positivas.

  7. Comunique com simplicidade, objetividade e numa linguagem acessível.

  8. Tenha cuidado para não perder a integridade das informações.

  9. Sempre alinhe e ajuste seus designs com diretrizes de acessibilidade para garantir a qualidade técnica do material digital. Projete seu design de modo que o usuário possa interagir de maneira autônoma com as informações. O propósito é consolidar uma web mais inclusiva focando na usabilidade e não apenas requisitos legais ou checklist. Sua equipe de designers deve adotar soluções adequadas para cada caso e projeto desde a etapa de planejamento e ideação.


Ofereça acessibilidade em design com os recursos do Perto Digital


A acessibilidade digital pode posicionar sua marca empreendedora como um negócio ainda mais relevante para diversos públicos. As soluções do Perto Digital auxiliam na criação de gráficos, tabelas e modelos de design inclusivos. Além disso, oferecemos:

a) Plugin para tornar seu site ou plataforma mais acessível;

b) Soluções para adequar a qualidade do seu texto digital;

c) Diagnóstico da acessibilidade do seu site;


d) Ferramentas que convertem PDFs em documentos acessíveis;

e) Criação de textos alternativos.


Entre em contato com nossa equipe pelo chat e construa uma marca digitalmente acessível.

ความคิดเห็น


© 2022 Perto Digital. Todos os direitos reservados

bottom of page