top of page

Conheça as atualizações do WCAG 2.2 e crie um conteúdo inclusivo


Ilustração estilizada de elementos de interface de usuário e tecnologia com cores contrastantes.

Seu conteúdo deve priorizar a inclusão e estar em conformidade com a WCAG 2.2!


Até porque modelos de negócios inclusivos:


  • conquistam status;

  • tem um melhor desempenho, já que alcançam mercado maior e fecham mais vendas;

  • são naturalmente mais inovadores.


Já que a WCAG foi atualizada em setembro de 2023, o texto tem como finalidade apresentar essas alterações. Assim, você pode entender melhor as melhorias e tomar decisões para agregar acessibilidade no seu negócio.


Antes de apresentar essas mudanças, é pertinente que se mencione alguns pontos. 


Apenas seguir as conformidades não é o suficiente. É imprescindível focar na usabilidade do cliente. Cada modificação no seu produto digital (softwares, sites e aplicativos) deve fazer mais do que só cumprir a legislação.


A oferta que vai além do básico e se preocupa com a experiência do usuário incorpora a acessibilidade no mindset.


Dito essas ressalvas, chegou a hora de explorar as mudanças na WCAG.


O que mudou na WCAG? Como ela impacta seu conteúdo inclusivo?


Saber as atualizações da WCAG é imprescindível para criar conteúdos inclusivos.

A WCAG 2.2 foi lançada e apresentou novos critérios de sucesso.


Esses critérios enfatizam a acessibilidade da web para pessoas com deficiência visual, cognitiva, motoras e de aprendizagem. Esses critérios de sucesso são testáveis em níveis nomeados como A, AA e AAA.


O nível “A” é o mais básico, enquanto o “AAA” é o mais aprofundado.


Se seu modelo de negócios atende a um nível de conformidade avançado, ele atende os níveis mais básicos. Imagine que, por exemplo, seu site está em conformidade com as WCAG 2.2 AAA.


Do mesmo modo, ele está em conformidade com o WCAG 2.2 AA e A.


Critérios de sucesso de Nível A estabelecem uma conformidade básica com o acesso. Os níveis A e AA são a acessibilidade aceita pelas legislações do mundo todo.


Já o nível AAA exige medidas de acessibilidade bem mais maduras, ultrapassando as exigências legais de alguns países.


Se seu empreendimento estiver em fase de expansão e internacionalização, é uma boa ideia atingir os níveis AAA. Até porque entregar mais do que a lei demanda é focar na experiência do usuário. 


Assim, você posiciona a inclusão web como um diferencial competitivo e surpreende o mercado.


A WCAG determina os seguintes critérios de sucesso:


  • 2.4.11 Foco não obscurecido - Mínimo (AA): se um componente da interface do usuário receber foco do teclado, uma parte dele deve estar visível. Essa parte visível não deve ser ocultada por outro conteúdo fornecido.

  • 2.4.12 Foco não obscurecido - Aprimorado (Nível AAA): Se o foco no componente da interface do usuário receber foco do teclado, nenhum indicador de foco será ocultado.

  • 2.4.13 Aparência do foco (Nível AAA): Indicador de foco deve ter cores contrastantes entre estado focado e não focado, assim como ter tamanho visíveis.

  • 2.5.7 Movimento de arrastar (Nível AA): O site deve fornecer meio alternativa à tarefa de arrastar como tocar ou clicar. 

Por exemplo: em vez de arrastar um mapa, a interface pode fornecer botões que movimentam o mapa na direção específica. 

  • 2.5.8 Tamanho do Alvo - Mínimo (AA): Alvos interativos devem ter um tamanho mínimo de 24 X 24 pixels CSS. Esses mesmos alvos devem ter espaços suficientes entre eles e preenchimento de destino.

  • 3.2.6 Ajuda Consistente (Nível A): A opção de ajuda deve estar disponível no mesmo local relativo. 

  • 3.3.7 Entrada Redundante (Nível A): Em cadastros ou preenchimentos de formulário, informações já inseridas pelo usuário devem ser disponibilizadas. Isso facilita o cotidiano dos usuários, porque a inserção de informações deixa de ser obrigatória. Somente serão inseridas informações se forem necessárias e novas.

  • 3.3.8 Autenticação Acessível - Mínima (NÍvel AA): A disponibilização de uma forma de identificação que não exija memorizar nomes de usuários ou senhas. Da mesma forma, mecanismos de ajuda podem ser disponibilizados para ajudar o usuário.

Por exemplo: a entrada por um gerenciador de senhas através de um campo de nome e senha. Essa mesma estratégia permite que o usuário cole nos campos.

Uma outra boa prática é pedir para o usuário realizar um teste de função cognitiva. Esse teste pode ser reconhecer um sinal de stop ou imagem.


  • 3.3.9 Autenticação Acessível - Aprimorada (Nível AAA): Usuários não devem ser pressionados a escrever corretamente ou memorizar informações. Essas tarefas são testes cognitivos. Caso um processo de autenticação apresentar teste de função cognitiva, o site deve fornecer uma alternativa para autenticar. Mecanismos de ajuda para finalizar o teste podem ser usados nesse contexto. A autenticação via reconhecimento de conteúdo ou objetivo fornecida pelos usuários não é permitida neste nível.


Conte com o Perto Digital para alcançar as exigências do WCAG 2.2


A WCAG 2.2 é um aviso: a acessibilidade digital é um processo de melhoria contínua. 


As leis mudam para satisfazer as necessidades da população e os critérios da WCAG são atualizados. Esse cenário demanda que proprietários de sites e empresas adaptem seu conteúdo em função dessas novas necessidades.


Não há mágica para que seu conteúdo web esteja em conformidade com a acessibilidade.


Por isso, conte com as soluções do Perto Digital para incorporar a inclusão digital no seu negócio. Converse conosco e conheça nossa proposta.


Comments


© 2024 Perto Digital. Todos os direitos reservados

bottom of page