top of page

Conheça a conexão entre a inclusão digital e a inclusão social


Ilustração de peças de quebra-cabeça conectando a inclusão digital com a inclusão social, simbolizada por ícones de tecnologia e figuras humanas diversas, destacando a união através da acessibilidade digital.

Como a tecnologia pode apoiar a socialização das pessoas com deficiência?


Como a inclusão digital e inclusão social podem efetivar direitos ao lazer e qualidade de vida?


Nossa economia 4.0 demanda atenção do cliente. Em palavras mais simples, todos nós estamos conectados o tempo todo com redes sociais e o mundo digital.


Não parece contraditório que a internet que demanda tanto da nossa atenção possa ser uma forma de socialização?


Como passar da inclusão digital para conexões verdadeiras? O debate em torno da socialização da diversidade e o convívio com o diferente são assuntos de extrema importância!


É um avanço cidadão permitir que pessoas com deficiência participem da discussão em torno do uso da internet para socializar. Portanto, este artigo tem três finalidades principais:


  • Apresentar como sites mais acessíveis podem ser uma ajuda para socializar, passando do online para o mundo real;

 

  • Mostrar os benefícios que a acessibilidade digital pode trazer para o modelos de negócios, empresas e sites do governo;

  • Pontuar sobre a responsabilidade cidadã de todos nós em debater um uso responsável da internet. Assim, poderemos equilibrar trabalho, lazer, presença no online, consumo e convivência. 


Um amanhã sem barreiras virtuais e sociais é uma construção coletiva!


Como conectar inclusão digital e inclusão social?


A inclusão no mundo web é um assunto de prioritária importância! Agora, o consumidor precisa utilizar o virtual de forma consciente. Assim, a internet pode promover o direito a uma rica vida social. Por que debater a socialização, lazer e convívio?


Ora, são temas que aparecem na própria Constituição de 1988! Observe esses trechos do próprio texto jurídico:


 Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. 


O fato é que a legislação é muito clara quando diz que o lazer é um direito social. 

O acesso a direitos é uma construção coletiva!


Logo, pessoas com deficiência podem e devem participar da construção de uma sociedade mais inclusiva! O foco deve estar na aceitação da diversidade nas rotinas sociais. Até porque a singularidade enriquece e engrandece o dia a dia! 


Sites e modelos de negócios mais acessíveis têm um incrível potencial para incluir pessoas com deficiência no mercado de consumo. 


A compra de soluções mercadológicas é indispensável para efetivar o direito ao lazer. Basta pensar em negócios bastante convencionais para entender esse contexto.


Um site de restaurante que incorpora a inclusão digital é muito mais convidativo e amigável para pessoas com deficiência.


Assim, as mais variadas audiências podem conhecer os serviços do restaurante para combinar um encontro com os amigos no local. Uma loja de roupas com um site acessível é outro negócio que oferece produtos para ativar o acesso ao lazer.


Afinal, ser uma pessoa bem vestida e elegante eleva a autoestima! Todos são exemplos de empreendimentos que oferecem alegria e satisfação com a vida para os clientes!


A própria Startup Perto Digital já é uma inovação que agrega acessibilidade digital, permitindo que diversos perfis de pessoas comprem.


Portanto, ambos os casos, empreendimentos inovadores ou convencionais, podem ampliar a qualidade de vida. 


Com o uso responsável e moderado da internet, é possível que sejam efetivadas condições para o usufruto do lazer. O descanso, as alegrias compartilhadas e o riso são avanços cidadãos promovidos pelo empreendedorismo!


Compartilhar os benefícios da inclusão digital!


Conviver com o diferente é a receita para criar uma sociedade mais tolerante.


Assim, a acessibilidade em sites é uma premissa básica dessa harmonia social. A cidadania vai além de sites corporativos e de compras! O Estado cumpre um relevante papel na efetivação dos direitos sociais.


Sites governamentais com acessibilidade implementadas permitem que cidadãos com deficiência acessem direitos e informações.


Um exemplo é o acesso escolar. Em alguns contextos, crianças com deficiência podem frequentar o ensino regular, o que significa convívio e socialização. 


O direito à educação acaba ativando o direito ao lazer e a quebra de barreiras!

Marcas empreendedoras que oferecem lazer, contentamento e satisfação com o próprio cotidiano acabam impactando a vida dos clientes!


Seu site incorporando acessibilidade acaba virando sinônimo de atração e fidelização de clientes.


É um ciclo virtuoso de acolhimento que amplia a performance empresarial! Muito valor é gerado e entregue para os consumidores!


Da mesma forma, sites do setor público que incorporam a inclusão digital facilitam demais a vida dos usuários. A entrega de um serviço através das facilidades do online ampliam o desempenho do Estado e ativam direitos! 


Um amanhã sem barreiras


Tanto a iniciativa privada quanto o setor público têm responsabilidade na efetivação dos direitos das pessoas com deficiência. 


Por isso que a inclusão digital tem o poder de mudar radicalmente a vida de muitos públicos. Um uso consciente e prudente das redes sociais e internet pode ampliar a qualidade de vida!


Os benefícios da inclusão digital podem ser extrapolados para a inclusão social.


É impacto na certa! A tecnologia da Perto Digital pode ajudar a sua empresa a incorporar a acessibilidade no seu site. Se suas páginas web oferecerem uma navegabilidade mais fácil, sua marca empreendedora estará no coração dos clientes!


A inclusão no online é um enorme diferencial competitivo. Sua oferta vai atingir seu público consumidor de maneira bem mais assertiva e efetiva. 

Converse com nossa equipe de vendas para conhecer mais da nossa proposta. 


Comments


© 2024 Perto Digital. Todos os direitos reservados

bottom of page