top of page

Conexões entre acessibilidade e o Outubro Rosa


Arte em 2D uma mulher no centro com um laço rosa na camisa e as mãos no peito com algumas flores em volta.

Um espaço web mais acessível e acolhedor pode impactar positivamente a vida dos usuários com deficiência? Qual é a ligação entre inclusão e a luta contra o câncer de mama? O texto de hoje vai conectar o Outubro Rosa e o tema do acesso online, demonstrando como ambos se complementam.


Essa reflexão e sensibilização são imprescindíveis para oferecer uma experiência digital que amplie a qualidade de vida das pessoas.


Afinal, organizações e empresas que apresentam acessibilidade digital geram ganhos e transformações sociais profundas. Não basta apenas vender uma solução mercadologicamente inovadora. Prestar atenção nos efeitos indiretos da sua proposta de valor na vida dos clientes faz toda a diferença.


A luta contra o câncer de mama é plural e coletiva


O texto “Outubro Rosa 2023” apresenta o histórico dessa questão. O Outubro Rosa foi criado no começo dos anos 90.


O pontapé inicial para isso foi o lançamento do laço cor-de-rosa, símbolo da prevenção ao câncer de mama. A Fundação Susan G. Komen for the Cure distribuiu esse símbolo aos participantes da primeira Corrida pela Cura.


Essa corrida foi realizada em Nova York (EUA) e, desde então, é promovida anualmente.


O período de Outubro é celebrado no Brasil e exterior com o propósito de compartilhar informações sobre câncer de mama. Com isso, há maiores chances das pessoas identificarem os sinais precoces e receberem tratamento logo cedo.


O câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo. Foram estimados cerca de 2,3 milhões de casos para 2020 em todo o planeta.


No contexto do Brasil, foram estimados 73.610 casos novos de câncer de mama para o ano de 2023.


Assim, foi contabilizado um risco de 66,54 casos para cada 100 mulheres. Os principais sintomas são:

  • caroço (nódulo) geralmente endurecido, fixo e indolor;

  • alterações no mamilo (bico do peito);

  • pele da mama avermelhada;

  • saída espontânea de líquidos de um dos mamilos

  • nódulos presentes no pescoço ou nas axilas.

Com a identificação desses sintomas precocemente, as chances de cura aumentam.

Como o câncer de mama é uma questão de saúde pública, o autocuidado é essencial. Até porque, muitas vezes, as oportunidades de se cuidar são escassas. As mulheres, as maiores vítimas desse câncer, têm uma enorme carga de responsabilidade.


São desafios na área profissional, compromisso de cuidar dos filhos, exercer o papel de esposa e dona do lar. Em alguns casos, o companheiro não auxilia nas tarefas domésticas ou nem está presente. Por todos esses motivos, o tempo de se dedicar à própria saúde é pouco. O volume de atividades só aumenta se a mulher é mãe de crianças com alguma deficiência.


Da mesma forma, há muitas barreiras e falta de tempo para a mulher que apresenta alguma deficiência.


Aqui, você assiste uma live sobre as dificuldades específicas que mães de crianças autistas enfrentam para se cuidar. A live é apresentada por Débora Chemin e Geni Pereira.


Então, existe uma conexão muito forte entre Outubro Rosa e acessibilidade em sites.


Até porque ambas são questões públicas e dizem respeito à sociedade como um todo. O próprio poder público é incumbido de minimizar e eliminar as barreiras na comunicação. A Lei 10.098 de 19 de dezembro de 2000. explica o que é esse termo.


Uma barreira na comunicação e informação é um entrave para a expressão ou recebimento de informação através de tecnologia.


Acessibilidade em sites agiliza o nosso dia a dia


Com os recursos certos, barreiras de comunicação podem ser eliminadas, agregando maior acessibilidade para sites.


Fazer compras, acessar informações sobre a própria saúde, enviar e receber mensagens são ações facilitadas pelo acesso online.


Assim, a acessibilidade em sites amplia a autonomia e a independência de pessoas com deficiência. Só essas facilidades já significam menos tarefas e mais qualidade de vida para as mães. Dois exemplos bem práticos ilustram esse contexto. Uma criança com deficiência vai poder estudar informações disponíveis em sites acessíveis sem precisar de adultos.


Assim, o direito à informação e à educação são garantidos, assim como o direito da mulher praticar o autocuidado.


Da mesma forma, mulheres com deficiência podem fazer compras em sites acessíveis e usufruir das simplicidades do acesso online. A tecnologia deve ser encarada como um benefício para todas as pessoas.


A esperança de uma vida mais tranquila e mais longeva perpassa pela acessibilidade em sites.

Invista em acessibilidade para o seu site e transforme vidas


São muitas questões de interesse público que se entrelaçam no nosso cotidiano e merecem uma atenção especial e reflexão colaborativa.


A acessibilidade em sites e o Outubro Rosa são somente exemplos. A proposta de valor do Perto Digital é oferecer tecnologia que potencializa a acessibilidade digital. Com nossas soluções, sua comunicação digital vai oferecer uma experiência digital acolhedora para todas as pessoas com deficiência.


Aposte na humanidade do seu negócio e do seu empreendimento. Converse com nossa equipe de vendas e consultores para conhecer nosso diferencial.





Opmerkingen


© 2022 Perto Digital. Todos os direitos reservados

bottom of page