top of page

A conexão entre a acessibilidade digital e os direitos das pessoas com deficiência


Ilustração vetorial minimalista que representa uma ponte simbólica ligando a tecnologia digital à diversidade de pessoas com deficiência. De um lado, elementos tecnológicos como tela de computador, dispositivo móvel e ícones de acessibilidade, como atalhos de teclado e leitores de tela. Do outro lado, figuras diversas de pessoas com deficiência. Esta metáfora visual destaca como a acessibilidade digital atua como uma ponte para defender e ampliar os direitos das pessoas com deficiência, utilizando a paleta de cores da marca Perto Digital para garantir uma mensagem visual coesa e impactante.

Por que a acessibilidade digital está alinhada com os direitos da diversidade? Qual é a base fundamental desses direitos?


Bem, a tecnologia é uma facilitadora. É uma ferramenta que gera muitos ganhos quando usada para um bem maior. O propósito deste texto é apresentar como seu empreendimento pode apoiar a efetivação de direitos e gerar resultados financeiros.


Afinal, a luta pela inclusão é coletiva e abarca diferentes atores sociais.

 

A fonte básica que fundamenta esse artigo do blog é um documento bem específico e importante.


O contexto histórico em que ele foi escrito ajuda a entender o porquê dele ser tão relevante. Em primeiro lugar, é necessário entender o propósito.


O objetivo da Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência é promover direitos humanos. Ela faz parte das ações da própria  Nações Unidas.


Os Estados Partes da Convenção são obrigados a seguir a Convenção e atender os direitos das pessoas com deficiência. 


Assim, todos alcançam plena igualdade perante a lei.

A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou o texto da Convenção em 13 de dezembro de 2006.


No Brasil, o texto foi promulgado em 26 de agosto de 2009 pelo Decreto nº 6949.

O Brasil possui um texto próprio sobre o tema. É um protocolo facultativo da Convenção, porque é um Estado Parte. 


Isso significa que as obrigações legais em terras brasileiras precisam ser mais rigorosas do que a convenção original.


O protocolo facultativo sobre a Convenção gera muitos insights sobre conexão entre negócios e justiça social. Vamos examinar esses elos de ligação e refletir sobre o tema a partir das próximas linhas.




As bases legais e a acessibilidade digital


Acesso online ativa e efetiva uma maior qualidade de vida para diversas audiências.

O protocolo facultativo da Convenção apresenta os princípios dela logo no início. 

São eles:


  • Respeito pela dignidade e independência pessoal;

  • Atender as capacidades de desenvolvimento da criança com deficiência;

  • Levar em consideração a plena liberdade da pessoa fazer as próprias escolhas, assim como a autonomia individual;

  • Não discriminar e permitir a efetiva participação das pessoas com deficiência na sociedade;

  • A igualdade de oportunidades, acessibilidade e igualdade entre homem e a mulher; 

Dessa forma, sites com acesso facilitado para clientes com deficiência podem fomentar uma vida mais autônoma. Até porque eles podem comprar, consumir e avaliar produtos e serviços sem precisar do apoio de outras pessoas.


O consumo tem uma dimensão inerentemente cidadã! 

Participar da economia de mercado atende aos princípios da dignidade e independência.


Além do mais, tecnologias e um universo web mais acessível igualam oportunidades.


Saber manusear informações e desenvolver competências digitais são necessidades impostas pela inovação contínua e o progresso tecnológico.


Conexão com o virtual significa comunicação, compartilhamento e colaboração. Pense nas vezes em que pessoas com deficiência puderam comunicar opiniões graças à internet!


Sua performance empresarial ampliada!


Seu empreendimento pode apoiar os princípios ratificados pela Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência! 


Colocar o poder nas mãos dos clientes significa posicionar sua marca mais perto do coração das pessoas! Logo, os recursos de acessibilidade permitem que a experiência digital seja customizada e personalizada.


Assim, por exemplo, uma pessoa com deficiência visual pode utilizar esses recursos para transformar textos em áudios.


Já um usuário com dificuldades motoras pode usar outras formas de navegação como o comando por voz. O foco principal é valorizar as diferenças humanas e facilitar o manuseio da internet e das informações digitais.


O poder nas mãos do seu cliente significa maior desempenho do modelo de negócios e oportunidades maiores de fechar negócios.


Vendas serão mais efetivas com um potente marketing boca a boca e reconhecimento da sua marca.


Sua empresa será um empreendimento com uma proposta de valor clara e alinhada com um forte propósito! Acessibilidade digital precisa ser uma prioridade, assim como as demais estratégias de marketing, vendas e objetivos globais da empresa. 


É muito mais poder de conectividade e acréscimo de credibilidade para todos os atores do mercado.


O que sua empresa pode fazer agora pela acessibilidade no online?


Mudar a mentalidade empresarial é se adaptar às tendências do mercado e necessidades da clientela. O cultivo da empatia pode melhorar o relacionamento com os clientes e gerar maior fidelização. 


Agora, como fazer dinheiro e impactar o mundo através da inclusão na web? 


Não importa o seu nicho de mercado ou as características do seu modelo de negócio! Valorizar a diversidade sempre potencializa os resultados financeiros e associa uma dimensão cidadã ao consumo!


A Perto Digital disponibiliza um conjunto de ferramentas, recursos e plugins para agregar acessibilidade na sua empresa.


Converse com nossa equipe de vendas e nossos consultores. Entenda os diferenciais da nossa solução e surpreenda seu público!


Comments


© 2022 Perto Digital. Todos os direitos reservados

bottom of page